O que falta, Inter?

O que falta, Inter?

O Internacional possui um dos elencos mais fortes das últimas edições da Série B, com jogadores que seriam titulares facilmente em muitas equipes da primeira divisão, como D’Alessandro, Nico Lopez e Edenílson. Um técnico que já provou seu valor por onde passou, mas que ainda está no começo de um trabalho. Uma torcida gigante, apaixonada, além de possuir uma camisa pesadíssima, o único time brasileiro a conquistar todas as competições possíveis no continente, inclusive um mundial.
Ainda é cedo, chegamos apenas na 9ª rodada da Série B, mas a situação do Colorado preocupa. Na última terça-feira, o Inter empatou sem gols com o Paraná Clube, em pleno Beira Rio, somando o seu terceiro empate consecutivo e marcando apenas um gol nas últimas três partidas. Uma vitória ilusória por 4×2 sobre o Náutico, lanterna do campeonato, foi o “ponto alto” do Inter dentro da Série B. Além dos resultados ruins, o que mais preocupa é a forma que o time vem jogando, a mudança de técnico foi uma esperança de novos ares pelos torcedores colorados, porém a troca na comissão técnica ainda não surtiu efeito e sequer dá uma pontinha de esperança nesse momento.

O Inter subestimou a Série B? Acredito que não. Bons reforços foram contratados para a competição , a volta do ídolo e camisa 10 do time e a contratação com alto investimento de um técnico que estava relativamente bem na Série A poderiam ter um impacto que não vai além de pequenos lampejos, longe de ser o suficiente pra grandeza do clube. Atualmente, o Internacional ocupa apenas a 6ª colocação na tabela, fora da zona de acesso para a Série A. O trabalho de Guto Ferreira está só começando, os resultados podem chegar, mas ainda é uma incógnita, a ideia de reformular a comissão técnica teoricamente tinha como objetivo um efeito imediato, mas o Internacional e o seu torcedor aparentemente terão que ter paciência.

Na próxima rodada, o Colorado enfrenta o Brasil de Pelotas, fora de casa, ainda é cedo para considerar um “jogo de 6 pontos”, porém ambos possuem a mesma pontuação na tabela, com o Brasil de Pelotas a frente pelos critérios de desempate. Vale a pena acompanhar, no próximo sábado, a partir das 16h30 no estádio Bento de Freitas, em Pelotas.

Advertisements
As novas caras (ou nem tanto) das ligas europeias

As novas caras (ou nem tanto) das ligas europeias

Três das principais ligas europeias terão alguns intrusos na tabela em sua próxima temporada. Alguns fazendo a sua estréia nos grandes palcos, outros velhos conhecidos que já não figuravam na elite há décadas.

 

Começando pela terra “da bota”, o Calcio da próxima temporada é um dos mais esperados nos últimos anos, os altos investimentos na dupla milanista são animadores para uma liga mais competitiva, onde a Juventus tem reinado com certa tranquilidade nas últimas temporadas. Além dos investimentos astronômicos para que a hegemonia da Velha Senhora acabe, temos duas grandes surpresas que irão figurar nos grandes palcos do futebol italiano.
Uma das grandes surpresas da temporada, não só no futebol italiano, mas no europeu, é a presença de uma equipe da pequena província de Campania que possui cerca de 62 mil habitantes, chamada Benevento Calcio. O clube possui 88 anos de história e na temporada passada alcançou pela primeira vez em sua história o acesso a série B do Calcio.
Antes de alcançar a maior conquista da sua história, o clube sofreu vários problemas financeiros, o último ocorrido em 2005, quando o clube jogou a série C2 do Calcio, a quarta divisão do futebol local. Mesmo com o menor orçamento entre os clubes da divisão, conseguiu o acesso superando equipes tradicionais, como Brescia, Bari, Perugia e Cesena, clubes que recentemente atuaram na divisão principal do futebol italiano.

 

O caminho pro acesso foi tortuoso, o time giallorossi conseguiu se firmar na 5º colocação e disputou um playoff com 6 times que lutavam por uma única vaga. Deixou pelo caminho Spezia, Perugia e na final que certamente ficará para a história do clube, teve pela frente o Carpi e pelos pés do romeno George Puscas, conseguiu o gol que garantiu o sonhado acesso aos Stregoni. Todos os jogos foram decididos pela diferença mínima. Outros destaques da campanha do Benevento foram o técnico Marco Baroni e Fabio Ceravolo, vice artilheiro da competição com 21 gols e 7 assistências.

Outro clube que logrou o acesso, foi o Spal Ferrara, clube que completa 110 anos em 2017 e volta a disputar o Calcio depois de 49 anos, na época da sua última participação na Série A, o time contava com Fabio Capello no seu elenco. Além do acesso, o time sagrou-se campeão da segunda divisão e retorna a Serie A após grande campanha na temporada sob o comando técnico de Leonardo Semplici. Outros destaques da campanha, foram o atacante italiano Mirco Antenucci, que veio do Leeds United para participar da campanha do título e o meia Gianmarco Zigoni. Vale lembrar, que na temporada 2012/13 o Spal Ferrara figurava na Serie D, quinta divisão do futebol italiano.
Na Espanha, o surpreendente Girona conseguiu o acesso e é mais um representante da Catalunia na La Liga. Em 86 anos de história, o Girona nunca teve a oportunidade de figurar entre os grandes da primeira divisão espanhola. O time amargava há 7 temporadas a divisão de acesso, chegando três vezes bem próximo do triunfo. Antes disso, o Girona passeava entre a terceira e quarta divisão por quase 50 anos, quando finalmente conseguiu o acesso a segunda divisão na temporada 07/08.
O acesso foi alcançado com a segunda colocação na tabela, sem necessidade de disputa de playoff para o “ascenso” sob o comando do técnico Pablo Machín e do atacante italiano Samuele Longo, artilheiro do time na temporada.

Na liga mais rica do mundo, não temos nenhum estreante, mas dois retornos cheios de peso e história. Na próxima temporada, a Premier League contará com a presença do Huddersfield Town, após vencer os playoffs e a “final de 200 milhões” nos penais sobre o Reading. O Huddersfield jogará a Premier League no atual formato pela primeira vez, a última participação do clube na primeira divisão inglesa ocorreu há 46 anos. Apesar da recente história não trazer boas memórias ao time inglês, no passado os Terriers foram o primeiro tricampeão da liga inglesa, vencendo a competição em 1924, 1925 e 1926. Após essa época gloriosa, o time não conseguiu manter o nível e chegou a jogar a quarta divisão na década de 70 e mais recentemente na temporada 03/04. A volta a Championship (segunda divisão) ocorreu apenas em 2012, onde a equipe se manteve até o acesso na temporada passada.

Outro time histórico do futebol inglês também volta a Premier League, o Brighton & Hove Albion, conseguiu o vice campeonato da competição sob o comando técnico do irlandês Chris Hughton, selando a sua participação na principal divisão inglesa após 34 anos. Também será a primeira participação do clube no novo formato da competição.